sexta-feira, 6 de agosto de 2010

10 dias em Buenos Aires

Bem, como o nome do blog já diz, sou quase nômade.
E no mês de julho iniciei minha jornada para conhecer outros países. Por via do destino,ou outra coisa que me oriente, ganhei uma estadia na Argentina por ser mãe de uma moça cheia de alegria e que nesse relato vai ser minha guia na viagem.
Nossa viagem começou muito antes do dia 16 de julho. Eu estava ansiosa e meio temerosa, essa seria minha primeira viagem oficial pra fora do Brasil. Fui algumas vezes ao Paraguai, quer dizer na fronteira, em compras. Fui duas vezes ao Uruguai, uma fique na fronteira porque não sabíamos que só entra no país com carteira de identidade ou passaporte. Meu esposo foi com documento profissional e não foi aceito. Depois voltamos com tudo certinho e fomos ficar um fim de semana em Punta del Diablo. Não considero essas experiências fronteiriças como viagem internacional, foram escapadas entre fronteiras.
Como viagem oficial escolhi Buenos Aires, por alguns motivos que me favoreceria. Tenho mais afinidade com a língua espanhola, tenho uma filha que esteve na capital por duas vezes, tenho um marido que faz um pouco de esforço e me realiza pequenos sonhos, Além do quê, todos dizem que Argentina tem um que de Europa. Nada mais correto que iniciar minhas idas para fora do Brasil por este pais com uma capital tão pitoresca.
Nossa saída de Florianópolis foi super tranquila, mesmo sendo 3 da madrugada e fazer um friozinho de leve. Nossa chegada em Buenos Aires foi tranquila mais com uma surpresa do clima, fazia a hora que pousamos 3 graus. Eu meio que temia que as minhas roupas para suportar o frio não foram pensadas pra essa temperatura. Mas foi de boa. Fomos trocar os reais por pesos e tomamos café no Macdonalds - 2 medialunas, um capuccino e café latte. Fizemos fotos em frente do aeroporto Ezeiza, saindo vapor de nossas bocas para ilustrar o frio que nem estávamos sentindo.
Foto 3725 do álbum.
Minha guia não podia ser mais linda, mais alegre e mais sabe-tudo que já encontrei. Larissa Zanella, filha mochileira e graduanda em Biologia, que fez esse favor de me levar a conhecer a Capital de nosso vizinho de Mercosul. foto 3726
Como ela sabia que os taxis do aeroporto Ezeiza são caros e precisávamos de cada $Pesos para as compras, fomos de Omnibus- de Ezeiza para o centro da cidade. São quase duas horas de viagem, mas como tínhamos tempo suficiente, foi agradavelmente cansativo.(risos) São $2-dois pesos por pessoa, contra $140.0-cento e quarenta de taxi. Custo-beneficio ótimo.
Chegando ao centro tomamos um taxi por causa das malas, pois, as deixaríamos no hotel Querido - uma casa um hotel... Tem propaganda mesmo porque foi bem agradável. Como nosso check in seria as 15 horas voltamos ao centro para almoçar e começar a ver as coisas belas.
Dessa vez sem malas e com olhos com fome de cultura, tomamos o Subte, ou seja o metrô. Começamos atendendo a pedidos de Larissa, almoçamos no Macdonalds da Ave Cordoba. A guia acha os preços uma pechincha e eu não queria procurar muito. Pedimos um bigmac para a guia e uma ensalada cesar para mim. Depoiis fomos passear pela Florida, dali até Plaza de Mayo famosa por ser palco de diversas manisfestações e por estar rodeada pela casa Rosada e pela Catedral Metroplitan, entre outros lindos monumentos de arquitetura e beleza. Neste dia havia uma manifestação, que não me deixaram ver de perto, Larissa foi instruída pelo pai a não me largar com movimentos socias. Sou parceira desse povo.

Vou relator em partes para não pesar no blog....Parte 1

Um comentário:

Valéria disse...

ah, eu bem q queria fazer uma aventura dessas, por lugares livrescos e frescos...